Introdução

A Infecção Associada aos Cuidados de Saúde (IACS) é uma infecção adquirida pelos doentes em consequência dos cuidados e procedimentos de saúde prestados e que pode, também, afectar os profissionais de saúde durante o exercício da sua actividade.

A prestação de cuidados de saúde, quer em meio hospitalar, quer em regime de ambulatório, pode dar origem à transmissão de infecções. Se por um lado se prolonga a sobrevida de doentes, por outro verifica-se que, os mesmos doentes se tornam vulneráveis às múltiplas infecções que podem adquirir nos locais onde ocorre a prestação de cuidados, sobretudo devido ao recurso a procedimentos mais invasivos e a diversos tipos de terapêutica, nomeadamente antimicrobianos.

A IACS, não sendo um problema novo, assume cada vez maior importância em Portugal e no mundo. Estudos internacionais revelam que cerca de um terço das infecções adquiridas no decurso da prestação de cuidados são seguramente evitáveis. Cabe à Comissão de Controlo de Infecção a responsabilidade de planear e executar um programa de prevenção e controlo de infecção, nomeadamente através da elaboração de normas de boas práticas em controlo de infecção, mas a responsabilidade de as executar é dos profissionais de saúde prestadores de cuidados directos aos utentes. Se não tiverem conhecimentos sobre como prevenir a infecção durante as acções que desenvolvem, a segurança dos utentes, profissionais e visitas pode estar comprometida.

Nesse sentido o curso de Pós Graduação em Infecção em Cuidados de Saúde pretende transmitir conhecimento e experiências que permitam aos formandos, no final do curso adquirir competências que lhes possibilitem identificar situações de risco de infecção e as medidas necessárias para prevenir a infecção cruzada no seu serviço e instituição, seja ela hospitalar, cuidados de saúde primários ou continuados.

Data de realização do curso

novembro de 2014

Áreas de conhecimento

  • Enfermagem
  • Farmácia
  • Medicina
  • Podologia

Estrutura curricular

Unidade Curricular 1 – Introdução à temática das Infecções Associadas aos Cuidados de Saúde (IACS)- da regulamentação aos conceitos fundamentais

-Do conceito de Infecção Nosocomial ao conceito actual de IACS.

-Organização do controlo e prevenção das IACS em Portugal.

-Introdução à problemática do controlo e prevenção das IACS.

-IACS e a responsabilidade civil das instituições e dos profissionais de saúde.

Unidade Curricular 2 – A microbiologia - um parceiro fundamental no controlo das IACS

-Microrganismos: de parceiros a adversários.

-Laboratório de microbiologia: um instrumento indispensável num Programa de Controlo de Infecção

-Utilização dos Antimicrobianos.

Unidade Curricular 3 – As armas que possuímos contra os microrganismos

-Antimicrobianos: o que são e como actuam.

-Como implementar um programa de prescrição de antimicrobianos.

-Antissépticos e desinfectantes: o que são e quais as suas indicações.

-Abordagem no tratamento de feridas e protocolos de actuação.

-O papel da CCI no combate às resistências.

Unidade Curricular 4 – As infecções: como se diagnosticam e como se previne

Diagnóstico das infecções

-Critérios de definição de infecção aceites internacionalmente.

-Diagnóstico da Infecção do aparelho respiratório e doenças de declaração obrigatória.

-Diagnóstico da Infecção das vias urinárias.

-Diagnóstico da Infecção da corrente sanguínea.

-Diagnóstico da Infecção do aparelho gastrointestinal.

A prevenção das IACS nas Instituições Hospitalares:

-Prevenção da Infecção Urinária;

-Prevenção da Infecção Local Cirúrgico;

-Prevenção da Infecção Respiratória;

-Prevenção da Infecção da Corrente sanguínea.

Unidade Curricular 5 – As medidas de primeira linha na prevenção e controlo das IACS

Precauções Básicas:

-A higienização das mãos e a Campanha das Precauções básicas.

-Controlo ambiental e higienização do ambiente.

-Controlo ambiental e a triagem e acondicionamento dos resíduos sólidos urbano.

-Restantes medidas das precauções básicas.

-Precauções adicionais baseadas nas vias de transmissão.

Gestão de risco hospitalar:

-Risco clínico.

-Risco geral.

-Questões legais das notificações.

Unidade Curricular 6 - Programas de controlo de infecção – da concepção à operacionalização.

-Programa Nacional de Controlo de Infecção.

-Manual de Operacionalização do PNCI.

-Adequar um Programa de Controlo de Infecção à realidade da instituição.

-Planos de actividades e relatórios de actividades em controlo de infecção.

-Implementação de um programa de avaliação de risco de infecção.

-Auditorias em controlo de infecção

Unidade Curricular 7 – A importância da epidemiologia no controlo das infecções.

-Conceitos fundamentais em epidemiologia

-Epidemiologia e a estatística

-Vigilância epidemiológica, um pilar fundamental na prevenção do controlo de infecção

-Processos de certificação de qualidade e os indicadores de qualidade de controlo de infecção.

-Recursos informáticos na vigilância epidemiológica.

Unidade Curricular 8 – Prevenção das IACS, uma questão transversal nas instituições de saúde.

Responsabilidade partilhada na prevenção e controlo das IACS:

-SHST e as áreas comuns com a CCI.

-O Serviço de Aprovisionamento e a colaboração com a CCI.

-Os Serviços Farmacêuticos e a colaboração com a CCI.

-Serviço de Esterilização.

-O Serviço de Instalações e Equipamento, uma colaboração imprescindível.

-Serviços hoteleiros: lavandaria, limpeza.

-Serviço de Dietética.

Unidade Curricular 9 – As IACS nas diferentes áreas das instituições de saúde.

-Prevenção das IACS nas unidades de endoscopia.

-A prevenção das IACS na Saúde Comunitária.

-A prevenção das IACS nas Instituições Privadas.

-A prevenção das IACS nas Instituições de Cuidados Continuados.

Documentação necessária de candidatura

Curriculum Vitae em modelo Europass;
Fotocópia do Certificado de Habilitações;
Preenchimento do boletim de candidatura;
Fotocópia do Bilhete de Identidade, Cartão de Contribuinte ou do Cartão de Cidadão;
Cheque ou comprovativo de transferência para o NIB 0033.0000.00048634338.29, no valor da candidatura.

Impressos para candidatura e inscrição

Ficha Individual de candidatura212 Kbytes Ficha inscrição para eventos64 Kbytes Ficha inscrição para eventos gratuitos63 Kbytes Instruções de preenchimento do Curriculum Vitae (Modelo Europass)160 Kbytes Modelo europass (Format Microsoft word)77 Kbytes

Informação e contactos

CESPU-Formação
Rua Central de Gandra, 1317
4585-116 Gandra - Paredes
Tel. 224 157 174/06
info@formacao.cespu.pt
www.cespu.pt

Local(is) de formação do curso

Gandra - Paredes
Campus Universitário de Gandra - Paredes
R. Central de Gandra, 1317
4585-116 GANDRA PRD - PORTUGAL

Entidades parceiras

Coordenação científica

Coordenação pedagógica

Objetivos

O objectivo geral deste curso é contribuir para a formação dos profissionais de saúde, numa vertente pluridisciplinar, permitindo-lhes aumentar o conhecimento no domínio das infecções e do seu controlo. Pretende-se ainda aprofundar conhecimentos que serão úteis para o desenvolvimento de programas de saúde no domínio do controlo e prevenção das infecções, que se comportem como verdadeiros indicadores de qualidade.

Objectivos Especificos

-Identificar os riscos de infecção no seu local de trabalho;

-Saber qual o papel dum profissional de saúde com funções em controlo de infecção numa unidade de saúde;

-Compreender a vertente pluridisciplinar do controlo de infecção numa unidade de saúde,

-Saber definir prioridades em prevenção sobre controlo de infecção numa unidade de saúde;

-Prevenir a infecção cruzada no seu local de trabalho.

Resumo

A Infecção Associada aos Cuidados de Saúde (IACS) é uma infecção adquirida pelos doentes em consequência dos cuidados e procedimentos de saúde prestados e que pode, também, afectar os profissionais de saúde durante o exercício da sua actividade.

Metodologia

As aulas serão teóricas, teórico-práticas e práticas, através da exposição das várias temáticas com análise e discussão de casos. A condição para a conclusão da pós graduação será a aprovação em todos os módulos. As notas serão de 0 a 20. A avaliação de cada disciplina é definida pelo professor respectivo na primeira aula.

Destinatários

Licenciados em Enfermagem, Medicina, Farmácia, Fisioterapia, Técnicos de Diagnóstico e Terapêutica e Podologia.

Candidatura e selecção

Candidatura até ao dia 07/11/2014

Análise curricular Académica e Profissional e ordem de inscrição.

Nº de vagas para o curso

25

Carga horária

180 Horas

Unidades de crédito do curso

21

Critérios de aprovação

O número de faltas não poderá exceder 20% da carga horária. Aprovação a todos os módulos.

Duração e regime

O Curso decorrerá de novembro de 2014 a junho de 2015. As aulas decorrerão à sexta-feira, das 16h00 às 20h00 e ao sábado, das 09h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00.

Cronograma

PROVISÓRIO

14, 15, 28 e 29 novembro de 2014

05, 06, 12 e 13 dezembro de 2014

09, 10, 23 e 24 janeiro de 2015

06, 07, 20 e 21 fevereiro de 2015

06, 07, 20 e 21 março de 2015

10, 11, 17 e 18 abril de 2015

08, 09, 22 e 23 maio de 2015

12 e 13 de junho de 2015


O Cronograma poderá sofrer alterações por parte da Coordenação Pedagógica, sendo comunicado atempadamente.

Corpo docente

Alexandrina Lino, Mestre
Licenciada em Enfermagem. Mestre em Infecção em Cuidados de Saúde. Enfermeira da CCI do CHTS, EPE.
Clarisse Magalhães, Profª. Doutora

Doutoramento em Saúde Pública; Mestre em Saúde Pública; Especialista em Enfermagem Médico-cirúrgica; Diretorado Departamento de Enfermagem; Professora Adjunta do IPSN no Curso Licenciatura em Enfermagem e Pós Licenciatura em Especialidade de Enfermagem Comunitária; Membro Fundador da APEG.

Elena Noriega, Enfa.
Licenciada em Enfermagem. Pós Graduada em ICS. Exerce funções na ARS de Faro no Departamento de Saúde Pública e Segurança do Doente e na DGS no departamento da Qualidade na Saúde e Divisão de Segurança do Doente.
Goreti Silva, Enfa.
Licenciada em Enfermagem. Exerce funções na DGS no departamento da Qualidade na Saúde e Divisão de Segurança do Doente.
Ana Geada, Mestre
Licenciada em Enfermagem. Mestre em Infecção em Cuidados de Saúde. Enfermeira da CCI do CH Lisboa Central. Consultora na DGS – PNCI.
Miguel Vale, Dr.
Licenciado em Direito. Curso de Especialização em Direito Administrativo. Director do Departamento de Intervenção Jurídica da Entidade Reguladora da Saúde.
Ernestina Aires, Enfa.
Licenciada em Enfermagem. Especialista em Enfermagem de Reabilitação. Pós Graduada em ICS e mestranda em ICS. Enfermeira CCI do CHP.
Salete Mota, Enfa.
Licenciada em Enfermagem. Pós Graduada em ICS e mestranda em Infecção Cuidados Saúde. Enfermeira da CCI do CHEDV.
Filipe Pinto, Enf.

Licenciado em Enfermagem. Pós licenciatura de Especialização em Enfermagem de Saúde Comunitária. Pós graduação em Higiene e Segurança no Trabalho; Enfermeiro do GCL-PPCIRA do CHTS, EPE

Maria José Fernandes, Drª.

Licenciada em Medicina. Médica intensivista da UCIP do CHTS, EPE. Coordenadora do GCL-PPCIRA do CHTS, EPE

Eduardo Melo, Dr.

Licenciado em Medicina. Médico intensivista da UCI CH Tondela-Viseu, EPE. Mestre em ICS. Coordenador do GCL-PPCIRA do CH Tondela-Viseu, EPE.

Ricardo Gouveia, Dr.

Licenciado em Marketing e Relações Públicas. Técnico Superior do Gabinete para a Garantia da Qualidade Assistencial no CHTS, EPE.

Bruno Cunha, Dr.

Licenciado em Economia pela Faculdade de Economia do Porto. Técnico Superior do Serviço de Aprovisionamento do CHTS.

Maria Céu Póvoa, Drª.

Licenciada em medicina. Especialista em pneumologia. Directora do Serviço de Pneumologia do CHTS.

Luciana Guimarães, Enga.
Licenciada em Engenharia. Técnica Superior de Segurança e Higiene no Trabalho no CHTS. Coordenadora do Gabinete de Gestão de Risco Hospitalar do CHTS.
Ricardo Sousa, Prof. Doutor
Licenciado em Ciências dos Computadores, ramo Científico pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Mestre em Engenharia Matemática pela Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. Doutor em Engenharia Computacional e Eléctrica na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.
Manuel Azevedo, Enf.
Licenciado em Enfermagem. Pós Graduado em Emergência e Traumatologia. Mestrando em Feridas e Viabilidade Tecidular. Realiza Investigação na área farmacêutica e de feridas.
Luisa Coelho, Dra.
Licenciada em Dietética. Responsável pelo Unidade de Alimentação e Dietética do CHTS.
Vasco Ribeiro
Coordenador do Serviço de Instalações e Equipamentos do CHTS.
Carla Barros, Enfª.

Licenciada em Enfermagem. Especialista em Enfermagem  Médico- Cirúrgica. Coordenadora do Serviço de Esterilização do CHTS, EPE.